3  
     
 
ASPECTOS HISTÓRICOS DA CIDADE DE PASSA E FICA - RN.

      Tudo começou quando Daniel Laureano de Souza construiu sua casa no desbitado território situado à beira da estrada que liga Nova Cruz à Serra de São Bento, em 1929, ele não sabia que estaria dando início a mais um povoado.
      Daniel Laureano montou uma pequena bodega em sua casa, onde passou a bancar jogos e a vender aguardente. O pequeno negócio ficou logo conhecido, as pessoas que normalmente tinham que passar pela estrada eram atraídas pelos jogos e pela aguardente. Quem entrava na bodega não queria mais sair, com o passar dos dias, o minusculo empreendimento de Daniel Laureano, feito circunstancialmente e de maneira improvisada, começava exercer influencia em toda a redondeza, dando inicio a formação de um pequeno nucleo populacional em proximidades.
      Na tentativa de explicar o sucesso que a bodega estava fazendo. Antonio Luiz Jorge de Oliveira, morador da area conhecido popularmente como Antonio Lulu, sempre brincalhão dizia a sua maneira que aquele lugar era o passa e fica, foi assim que surgiu o nome Passa e Fica.
      No dia 10 de maio de 1962, pela lei n.º 2.782, Passa e Fica foi desmenbrado de Nova Cruz, tornando-se mais um municipio potiguar. localizado na região agreste do estado, Passa e Fica está a 119 km da capital, em uma area de 43 km quadrados, onde residem 8.032 habitantes. a Biblioteca Publica local reforça a cultura do Municipio colocando a desposição da comunidade um razoavel acervo de livros. com uma atividade economica representada pela produção agricola, Passa e Fica dispôe do Açude Calabouço, com capacidade para quase hum milhão e oitocentos mil metros cubicos de água. e no distrito de calabouço está localizado o Sitio Arqueologico de Calabouço, e a famosa pedra da boca, famosa por seus encantos arqueologicos e visitada por pessoas de outros estados vizinhos.
      O seu artezanato trabalha com bordados e croché, com fabricação de renda do tipo frivolite, o folclore local conta com apresentações de João Redondo e Boi-de-Reis, alem da grande vaquejada anual no maior parque da Região Agreste: José Odon. na saida para São Jose de Campestre. outra festa tradicional da cidade é o “São João do Povão”, patrocionado pela Prefeitura Municipal a Cidade comemora a Festa de sua Padroeira, Nossa Senhora de Fatima, no dia 13 de maio, com muita animação e religiosidade . na Zona Rural comemora - se as seguintes festas : São Sebastão, dia 19 de janeiro, no povoado de Fernando dos Inácios; Nossa Senhora das Dores, dia 15 de setembro no Povoado de Fernando dos Bezerra; e Nossa Senhora Aparecida, dia 12 de outubro no Povoado de Barra do Geraldo.
      A Cidade dispõe de bons restaurantes, de posto de gasolina, bons aconchegantes barzinhos, além de um comércio emergente que começa a monopolizar a região. o Municipio de Passa e Fica, por ser um dos maiores produtores de mandioca do estado, é composto por mais de duas dezenas de industias de farinha mecanizadas sem contar as artesanais. a Cidade conta também com bonita e acolhedora Praça Dr. Luiz Amancio Ramalho, com quiosques e jardins servindo de ponto de encontro da sociedade e juventude.
      Na história politica do Municipio, ressaltamos a administração do ex - Prefeito Celso Lisboa, por dois mandatos, plantados em 1962. quanto emanicipação politica - administrativa, as sementes de um passa e fica progressivo e promissor. destacam - se como obras dentre outras, o prédio da Prefeitura Municipal, o Hospital e Maternidade, as primeiras ruas pavimentadas, etc. sucederam à frente do executivo, os ex - Prefeitos Ociram Damasceno Barbosa e Antonio Fernandes de Queiros, além do sr. Aryam Pessoa da Cunha Lima, por dois mandatos e mais recentemente, também, o Engº Pedro Augusto Lisbôa, incrementando uma administração moderna, equilibrada e com grandes realizações na zona rural. n.º de eleitores em 1998 , 5.065.


EDILSON SOARES RIBEIRO